PorkWorld - O Mega Portal da Suinocultura Brasileira

APCS debate Suinocultura, produtividade e eficiência

Criadores de São Paulo acompanham palestras que visam melhorar a gestão das granjas brasileiras...

Terça-feira, 14 de Novembro de 2017 às 10h42

APCS debate Suinocultura, produtividade e eficiência
APCS debate Suinocultura, produtividade e eficiência
APCS debate Suinocultura, produtividade e eficiência
APCS debate Suinocultura, produtividade e eficiência
APCS debate Suinocultura, produtividade e eficiência
APCS debate Suinocultura, produtividade e eficiência

Discutir como boa informação e gestão são imprescindíveis para se obter bons resultados na produção de carne suína nas granjas brasileiras. Este foi o principal objetivo de mais uma tarde de palestras promovida nesta segunda-feira, dia 13, em Campinas (SP), pela Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS). O evento contou com a presença de quase cinquenta produtores rurais e profissionais de empresas do segmento de vários municípios paulistas. A primeira apresentação coube a Everton Gubert, diretor da Agriness, empresa de softwares de gerenciamento de granjas, responsável por 1,5 milhão de matrizes no Brasil e exterior.

Na palestra "Como alcançar índices de excelência e produtividade", ele falou sobre a capacidade atual da suinocultura brasileira. "Acompanhamos uma evolução forte por parte dos criadores mais eficientes. E vem aumentando a diferença entre os que estão na frente e os que estão atrás. E o primeiro passo para mudar é medir de maneira concreta os dados das granjas", apontou Everton. Foi esta obsessão que desaguou na criação do prêmio 'Melhores da Suinocultura Agriness', uma espécie de torneio entre granjas, que hoje envolve 1.200 propriedades no Brasil e aponta aquelas que obtém resultados mais positivos em torno de quesitos como desmamado/fêmea/ano, nascidos vivos, mortalidade, etc. Os números levantados em oito anos de prêmio indicam que há diferença ainda muito significativa entre as granjas do país. Só tratando de desmamados, vai de 20,9 a 35,56 desmamados/fêmea/ano.

"É indicação de que alguma coisa não está sendo feita já que genética, nutrição, equipamentos atingiram um ótimo nível de excelência e estão à disposição de todos. Logo, há desafios que são caminhos para melhorarmos. Metade das granjas brasileiras ainda tem performance mediana e pode chegar bem mais perto dos melhores”, explicou Everton. E para ele, melhorar é olhar em tempo real. "As coisas vão acontecendo e a gente vai medindo", aconselha. E cuidar do que seria um 'Triângulo de Ouro da Gestão', com os pilares informação, operação e pessoas. "É com essa base que vamos perseguir o máximo potencial produtivo da granja, que, na verdade, é apenas o máximo de produtividade que se pode atingir com a estrutura disponível", sugeriu. Everton encerrou a palestra destacando os principais parâmetros que merecem atenção redobrada dos suinocultores: alvo de cobertura, dias não produtivos, nascidos vivos e mortalidade.

A segunda apresentação coube a Vanessa Gomes de Andrade, da Cargill Risk Management, que falou sobre as oportunidades em gerenciamento de riscos, principalmente na compra de grãos vitais para a ração dos suínos, como milho, soja e farelo de soja. “A compra de grãos envolve a análise correta de dados como câmbio, mercado, ambiente de negócios e clima. São essas variáveis que determinam o momento mais indicado para fechar negócios e ter as informações e pessoas que auxiliem na tomada de decisão é fundamental para o Agronegócio”, explicou Vanessa.

Fonte: Revista Pork

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Receba FREE a Revista on-line e a Newsletter Semanal
Ave World - O Mega Portal da Avicultura Brasileira