PorkWorld - O Mega Portal da Suinocultura Brasileira

Patense traz novas soluções sustentáveis para nutrição animal

Unidade Rio produz insumos de alto valor nutricional e digestibilidade, enquanto representa solução para o descarte de pesados no Sudeste.

Quinta-feira, 10 de Maio de 2018 às 14h43

Patense traz novas soluções sustentáveis para nutrição animal

A nutrição animal já conta com mais um leque de soluções sustentáveis de grande valor nutricional, alta digestibilidade e preço competitivo. A Patense disponibiliza no mercado farinha e óleo de peixe com os mais elevados padrões de qualidade para criação de suínos, peixes e PETs.

Amplamente reconhecida por outros nutrientes de origem animal, a Empresa tem capacidade instalada em sua nova unidade, no município de Tanguá (RJ), para produzir até 200 toneladas por dia destes produtos.

Com investimento de R$ 30 milhões, a fábrica dispõe das tecnologias mais atuais em todas as etapas do processo produtivo. São 10 mil m² de área construída para fazer parte da solução sobre o descarte de peixes no Rio de Janeiro e outros estados.

“Somos a única empresa independente atuando no setor de óleos e farinha de peixe na região Sudeste do País. Assim, representamos uma alternativa eficaz para alguns importantes centros criadores de peixes, suínos e animais de estimação”, pontua Victor Gonçalves, diretor de operações da Patense.

Tais produtos possuem valor agregado e estão especialmente valorizados pois representam opção a outros insumos utilizados em rações animais.

No caso da indústria suinícola, a farinha e o óleo de peixe são substitutos ao plasma, geralmente utilizado na alimentação de leitões, com vantagens quanto a preço e valor nutricional. Já na indústria PET, além do valor nutricional diferenciado, a digestibilidade apresenta-se como uma vantagem.

Toda a linha operacional da Unidade Rio opera com Boas Práticas de Fabricação. Além disso, o padrão de qualidade é assegurado por meio de análises físico-químicas e espectroscópicas em cada etapa até o produto final.

Além disso, a Unidade Rio utiliza um frota de caminhões com isolamento térmico (câmara fria ou tanques refrigerados), tratamento de 100% dos efluentes e outras rotinas para garantir alta performance produtiva e ambiental em todo o processo.

“As instalações são extremamente limpas e higiênicas e chegam a impressionar quem as conhece pela primeira vez. Tudo graças ao maquinário de última geração e a experiência que a Patense adquiriu em décadas de atividade”, acrescentou Fernando Guimarães, gerente da Unidade Rio.

A garantia de qualidade, inclusive, é o diferencial para alguns dos principais clientes da unidade no mercado externo, como Scoular Company (USA  e  Costa Rica), Prairie Petfoods Ingredients (USA), Biomar Aquacuture (Bangladesh) e TRIOS (Chile), e nacional.

Responsabilidade ambiental

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Brasil produz por volta de 600 mil toneladas de pescado por ano nos estabelecimentos contabilizados, sendo 100 mil apenas no Rio de Janeiro. Destes totais, cerca de 30% (ou mais) são descartados.

Se não existisse a Unidade Rio da Patense, tais resíduos iriam para aterros, gerando chorume, ou mesmo seriam despejados diretamente no mar, rios ou solo, causando impacto ambiental negativo para a sociedade e o meio ambiente. 

“A Patense é uma empresa de referência que sempre buscou dar a melhor destinação para resíduos que seriam lançados na natureza, muitas vezes sem tratamento adequado”, explica Victor.

A Empresa também processa descartes da suinocultura, pecuária e avicultura em outras unidades e desenvolveu soluções sustentáveis nacionalmente reconhecidas como como a fertirrigação e a cogeração de energia.

Fonte: assessoria de imprensa

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Receba FREE a Revista on-line e a Newsletter Semanal
Ave World - O Mega Portal da Avicultura Brasileira